A+ A-
Notícias

QUAL A PRESSÃO INTRAOCULAR NORMAL?

Esta pergunta é uma das mais ouvidas por qualquer oftalmologista e que causa grande apreensão nos pacientes que recebem informações desencontradas e por diferentes meios (parentes, vizinhos, internet, etc...). Mas para responder este questionamento, temos que nos remeter a mais de meio século atrás. Em 1958 foi realizado um estudo no qual foram avaliada a pressão intra ocular (PIO) de 10.000 pacientes normais e os autores concluíram que os valores normais de PIO estariam compreendidos entre 10 e 21 mmHg aproximadamente. E assim, até algumas décadas atrás, o diagnóstico e, consequentemente, o tratamento do glaucoma, se baseavam fundamentalmente nos valores da PIO anteriormente descritos.

Alguns anos após, novos estudos mostraram que havia pacientes que apresentavam PIO maior ou igual a 22 mmHg e não desenvolviam glaucoma; e outros com PIO menor ou igual a 21 mmHg que desenvolviam perda da visão pela doença glaucomatosa. Isto é, cada pessoa responde diferente a mesmos níveis de PIO. E assim, a definição de glaucoma aprimorou-se para "dano progressivo e irreversível no nervo óptico com alteração do campo visual". Neste conceito, chama a atenção, o fato da PIO elevada não fazer mais parte dessa definição. E isto de deve a alguns fatores, entre outros:

1 -  estudos mais recentes mostram que uma parcela significativa de pacientes (até 40%) podem apresentar PIO "normal" no momento da consulta.

2 -   o pico da PIO pode ocorrer em horários em que o paciente não está no consultório médico, visto a variação da PIO durante as 24 horas do dia que ocorre em qualquer paciente, porém com mais destaque nos glaucomatosos

3 -   glaucoma é uma doença multifatorial
Assim sendo, a pressão "normal" é aquela que mantém intacta a estrutura do nervo óptico. E nos pacientes glaucomatosos, a PIO "alvo", isto é, desejada com o tratamento, é aquela que mantém estável o dano glaucomatoso. Porém, para isso, o diagnóstico de glaucoma deve ser baseado em um bom exame clínico e exames complementares criteriosos e cada paciente deverá ter sua PIO individualizada.

Publicado por: André Brenardes - CRM 8458
VoltarVoltar Página PrincipalPágina Principal
Desenvolvido por IW Comunicação
Unidade Clínica - Rua Deputado Leoberto Leal, 14 - Centro - Florianópolis / SC | Telefone/Fax: +55 (48) 3216-7000 Res. Técnico: João Luiz Lobo Ferreira - CRM 5753 - RQE 1789 Unidade Cirúrgica - Rua Madalena Barbi, 53 - Centro - Florianópolis / SC | Telefone/Fax: +55 (48) 3216-7000 Res. Técnico: Ayrton R. B. Ramos - CRM 7434 - RQE 5288